5º CINEBARU
Mostra Sagarana de Cinema Abril-maio 2021

Edições anteriores

Aqui você encontra a memória das nossas edições anteriores: nossos manifestos, a programação completa, o catálogo de filmes, a curadoria, o júri, os filmes premiados e muitas fotos!

#3 CineBaru 2019

A terceira edição do CineBaru Mostra Sagarana de Cinema aconteceu entre os dias 12 e 14 de setembro de 2019, na vila de Sagarana, distrito do município de Arinos, no sertão de Minas Gerais.

O CineBaru acredita no cinema como espaço potente de encontros e reflexões; para propiciar diálogos e compartilhar experiências entre as comunidades e os participantes da Mostra. Assim, o objetivo do CineBaru é promover uma imersão no sertão enquanto local de encontro, fomentando a formação de uma rede de cinema na agenda de festivais nacionais. Com isso, tem-se o intuito de fortalecer os grupos que realizam, moram, produzem e pesquisam nos estados da Bahia, Goiás, Minas Gerais e no Distrito Federal.

A convivência cultural, social, política e artística por meio da produção e exibição de filmes inaugura um olhar sensível nesse ambiente audiovisual. Fazer, exibir e viver cinema no sertão mineiro in loco, compartilhando de dentro para fora e no seu avesso inquietações, vivências, saberes e valores.

Buscando somar ao movimento de combate às desigualdades ainda profundamente enraizadas em nossa sociedade, bem como dentro da produção cinematográfica nacional, o CineBaru tem como diretriz a promoção de filmes dirigidos ou protagonizados por mulheres, negras e negros, indígenas e LGBTQIA+.

A Mostra Sagarana de Cinema se consolida no calendário cultural de todo o noroeste do estado de Minas Gerais, sendo atualmente a maior mostra de cinema independente dessa região, dialogando com as fronteiras do sertão e viabilizando um alcance de público em Goiás, Bahia e em especial o Distrito Federal.

Na terceira edição, a Mostra chega a quase 100 filmes exibidos e cerca de 400 inscritos desde 2017. A edição deste ano 2019 recebeu 133 inscrições de curtas para a Mostra Competitiva Regional; a curadoria selecionou 27 filmes para a Mostra Competitiva, 1 filme para o especial de abertura e 3 filmes para o espaço Sertãozin.

Download catálogo

Seta

Download programação

Seta

Programação #3 CineBaru 2019

Quinta, 12 de setembro de 2019

Seta

19h30 | ABERTURA
Baixa Funda o Destino de um Povo (Marcello Sannyos – Fic/Doc, Urucuia-MG)

 

20h | MOSTRA REGIONAL DE CURTAS | SESSÃO 1

1. O Cinema Que Não Se Vê (Erik Ely – Doc, Goiânia-GO)
2. A Piscina de Caíque (Raphael da Silva – Fic, Goiânia-GO)
3. Bié dos 8 Baixos (Eduarda Gama e Uyatã Rayra – Doc, Feira de Santana-BA)
4. Teoria sobre um planeta estranho (Marco Antonio Pereira – Fic, Cordisburgo-MG)
5. O Jacaré e o homem do Boi (Paulo Alexandre Coelho, Doc, Barroso-MG)
6. Riscados Pela Memória (Alex Vidigal, Fic, Brasília-DF)
7. Rebento (Vinicius Eliziário, Fic, Salvador-BA)
8. Filhas de Lavadeira (Edileuza Penha, Doc, Brasília-DF)

Sexta, 13 de setembro de 2019

Seta

19h30 | MOSTRA  REGIONAL DE CURTAS | SESSÃO 2

1. Dôniara (Kaco Olimpio – Fic, Goiânia-GO)
2. Entre Parentes (Tiago de Aragão – Doc, Brasília-DF)
3. O Retorno da Vênus (Vanessa Goveia – Fic, Goiânia-GO)
4. Poética de Barro (Giuliana Danza – Ani, Belo Horizonte-MG)
5. Pela luz do teu olhar (Flávia Aguiar – Doc, Brasília-DF)
6. Escola Sem Sentido (Thiago Foresti – Fic, Brasília-DF)
7. Coração é terra que ninguém vê (Isabela Vitório – Fic, Brasília-DF)
8. A VISITA (Kennel Rogis – Art, Brasília-DF)
9. A Lenda do Caboclo D’ água (Bruno Bennec – Doc, Muriaé-MG)
10. Casulo (Rafael Aguiar – Fic, Cataguases-MG)

Sábado, 14 de setembro de 2019

Seta

19h30 | MOSTRA REGIONAL DE CURTAS | SESSÃO 3

1. Agreste (Dan Victor e Vinicius Rios – Fic, Araci-BA)
2. Santa (Marco Andrade – Fic, Cataguases-MG)
3. O Bastão e o Rosário (Ana Luísa Cosse – Doc, Belo Horizonte-MG)
4. SOLO (Alailson Bernardo – Fic, Goiânia-GO)
5. Silêncio e Som (Eva Maria, Mateus da Silva, Renata Franco – Exp, Alto Paraíso-Go)
6. E o que a gente faz agora? (Marina Pontes – Fic, Cachoeira-BA)
7. Cris, das Onze às Quatro (Yolanda Margarida – Fic, Goiânia-GO)
8. Motriz (Tais Amordivino – Doc, Salvador-BA)
9. Um Conto de Réis (Danilo Kamenach – Fic, Guapó-GO)

22h | PREMIAÇÃO

ATIVIDADES

Seta

Quinta, 12 de setembro de 2019

8h às 12h | SERTÃOZIN |
Espaço Cinema com exibição de curtas para crianças e pré-adolescentes + Espaço Quintal com criação de pipas e bonecas abayomi, pintura no rosto e bolinha de sabão + cantorias e danças.

13h | CIRCUITO DAS ÁRVORES NA TRILHA DA CACHOEIRA DO BOI PRETO
A equipe do Parque Estadual de Sagarana realizará nos dias 12 e 13 de setembro uma caminhada no Circuito das Árvores e na trilha da Cachoeira do Boi Preto localizada no Parque Estadual de Sagarana. A atividade tem como público-alvo os turistas admiradores do cerrado, sua mata seca e as suas águas. Concentração: 13h, no Curral do IEF.

Sexta, 13 de setembro de 2019

8h às 12h | SERTÃOZIN |
Espaço Cinema com exibição de curtas para crianças e pré-adolescentes + Espaço Quintal com criação de pipas e bonecas abayomi, pintura no rosto e bolinha de sabão + cantorias e danças.

13h | CIRCUITO DAS ÁRVORES NA TRILHA DA CACHOEIRA DO BOI PRETO |
A equipe do Parque Estadual de Sagarana realizará nos dias 12 e 13 de setembro uma caminhada no Circuito das Árvores e na trilha da Cachoeira do Boi Preto localizada no Parque Estadual de Sagarana. A atividade tem como público-alvo os turistas admiradores do cerrado, sua mata seca e as suas águas. Concentração: 13h, no Curral do IEF.

| OFICINA A HORA E A VEZ DO PALHAÇO |
Voltada para todas as idades, a oficina procura trabalhar o “estado do palhaço”, principalmente o palhaço na rua, trazendo a prontidão para estar em cena. Não é necessário ser comediante ou ator/atriz: o único requisito é ousar experimentar seu lado criativo e palhaço, ou simplesmente vivenciar seus pontos fracos e fortes, seus bloqueios e vivências para uma maior liberdade criativa no palco. Com Marco Andrade.

15h às 17h | AULA-CONVERSA: O CINEMA DOCUMENTÁRIO |
Um bate-papo sobre os conceitos do documentário: método, abordagem, dispositivo, improviso, descrição, estética. As teorias criadas sobre a ideia de documentar. O cinema direto e o cinema verdade, a relação (inclusive ética) do pesquisador e cineasta com seu objeto, o ato de entrevistar, como filmar o inimigo, além de outros debates sobre a ideia de se fazer documentário levantados a partir de trechos de filmes. Com Paulo Junior.

Sábado, 14 de setembro de 2019

8h às 12h | VIVÊNCIA EM QUINTAL ECOLÓGICO
Com o intuito de promover um olhar sensível sobre algumas questões que rondam o território sertanejo, convidamos os participantes do Cinebaru 2019, agricultores familiares e moradores da região para uma roda de prosa. Nas duas últimas edições do CineBaru, Rhaul e Camilla conduziram vivências no quintal de dona Celenita, promovendo a identificação de saberes e fazeres do modo de vida sertanejo. Na edição deste ano a prosa tem como proposta semear e colher em outros quintais. Em um primeiro momento faremos o manejo da horta e do pomar, seguindo com uma roda de prosa sobre Agroecologia, Agricultura Familiar, Sementes Crioulas e Conservação da Água – temas de extrema importância na realidade do Sertão Mineiro. Com Camilla Alves e Rhaul de Oliveira.

| OFICINA A HORA E A VEZ DO PALHAÇO |
Voltada para todas as idades, a oficina procura trabalhar o “estado do palhaço”, principalmente o palhaço na rua, trazendo a prontidão para estar em cena. Não é necessário ser comediante ou ator/atriz: o único requisito é ousar experimentar seu lado criativo e palhaço, ou simplesmente vivenciar seus pontos fracos e fortes, seus bloqueios e vivências para uma maior liberdade criativa no palco. Com Marco Andrade.

15h às 17h | BALAIO DE CALIANDRAS
Levando o nome de uma das típicas flores de nosso sertão Cerrado, Caliandras é um espaço de interlocução, reciprocidade e fortalecimento de discursos femininos e ambientalistas que perpassam a região cerratense do CineBaru. Acreditando que os mesmo discursos que legitimam a exploração do meio ambiente, sobretudo os rios e terras, são o mesmo que legitimam a opressão sobre o corpo, os saberes e fazeres das mulheres, nesse espaço as mulheres de cidade e mulheres do campo poderão se reconhecer, trocar e fortalecer o movimento feminino. Com um formato bastante maleável, seguindo o desenho de círculos, esse espaço acolhe as falas, inquietações e propostas de olhares e ações para com a questão. Ao final, como um resultado do vivido irá propor a escrita de uma carta aberta, que será elaborada e compartilhada posteriormente. Condução: Maria Fernanda Miranda, Emmanuelle Jaqueline Gomes, Ladyjane Macedo.

Curadoria

Amanda Geraldes

Historiadora e produtora cultural, pesquisadora da memória, das culturas populares, da história da alimentação e da cultura material.

Diana Campos

Moradora de Chapada Gaúcha-MG. Produtora Cultural, musicista, co-fundadora do Instituto Rosa e Sertão, colaboradora da Revista Manzuá e do CineBaru.

Isabella Atayde

Produtora cultural e relações públicas. Poeta, tradutora, fotógrafa, viageira, sambista, brincante, angoleira.

Marcello Sannyos

Ator, diretor da Cia de Teatro Grande Sertão, membro Conselho Estadual de Cultura de Minas Gerais. Graduado em Artes Visuais – Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes); especialização em Administração Pública da Cultura pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS); Produção de Cinema – Direção – Roteiro – Instituto Marlim Azul e Canal Futura – Rio de Janeiro RJ; e Pós Graduando em Práticas Musicais em Contexto Educacional – Universidade de Brasília (UnB).

Raquel Baster

Jornalista e educadora popular. Mestre em Comunicação e Culturas Midiáticas Audiovisuais pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Idealizou e coordenou o Projeto Semiárido em Tela pelo Instituto Nacional do Semiárido (Insa) e tem experiência na gestão de projetos sociais nas áreas de Comunicação e Direitos Humanos. É associada ao Intervozes – Coletivo Brasil de Comunicação Social.

Rhaul Oliveira

Cerratense, goiano, bacharel em ciências biológicas, mestre, doutor e pós-doutor na área ambiental, tem interesse em educação e conservação da natureza.

Simone Veloso

Nasci mineira, me chamaram Simone, cresci fazedora da cultura.

Thiago de Oliveira Ribeiro

Nascido em São Francisco-MG, crescido em Montes Claros-MG, e estudado em Brasília. Formado em Sociologia pela UnB. Trabalhou como analista de projetos culturais no Ministério da Cultura e hoje atua na assessoria da Secretaria Especial de Cultura do Ministério da Cidadania.

Júri

Maria Fernanda Miranda

Artista da dança, mãe, doutoranda em Artes da Cena pela Unicamp e militante pelo cerrado e os saberes das mulheres.

Paulo Junior

Jornalista e documentarista nascido em São Bernardo do Campo-SP, pesquisador do futebol e do cinema brasileiros.

Vinicius Mazzon

Troféus CineBaru 2019

Melhor Filme - Voto Popular

A PISCINA DE CAÍQUE (FIC, Goiânia-GO) – Raphael da Silva

Melhor Filme - Júri

ENTRE PARENTES (DOC, Brasília-DF) – Tiago de Aragão

Menção Honrosa

CASULO (FIC, Cataguases-MG) – Rafael Aguiar

Menção Honrosa

MOTRIZ (DOC, Salvador-BA) – Tais Amordivino

Menção Honrosa

O BASTÃO E O ROSÁRIO (DOC, Belo Horizonte-MG) – Ana Luísa Cosse

Prêmio Aquisição SESC TV

SANTA (FIC, Cataguases-MG) – Marco Andrade

Parceiros da #3 CineBaru 2019

Realização

Patrocínio

Apoio